terça-feira, 1 de novembro de 2011

Todos Eles Vivem em Mim...



Nada de finados
A morte não é o fim
Penso cá dentro de mim
E lembro o meu irmão caçula Saulo
Minha avó Dôra
Meu avô paterno Luiz
O saudoso tio Paulo
Aretusa, Artoni, Mário
O estimado tio Ary
Adriana, Hélder, Branta
Meu avô materno Amarílio
Elias, Penha, Seu Zé, Geni
Luluca, Dida, Maria Eduarda
Tio Ivan, tio Lio e o amigo Sissi
Bisavós Coleta e Nina
Zeca, Paúca, Dodô, Maurílio
Inaldo, Fanca, Erisson, Dona Bibi
Estes, assim como tantos outros
Não estão mais por aqui
Mas finados nunca foram
Vivem e a eles louvo
Todos eles vivem em mim...

17 comentários:

  1. Gostei Sidney e realmente tem um grande significado isso que escreveu, principalmente me identifiquei com essa parte: "Estes, assim como tantos outros
    Não estão mais por aqui
    Mas finados nunca foram
    Vivem e a eles louvo
    Todos eles vivem em mim..."

    abraço

    Thiago Cavallera

    ResponderExcluir
  2. Penso igual.
    É por isso que você é essa pessoa positiva e com esse dom da escrita fácil, que reflete nossa realidade. Parabéns

    ResponderExcluir
  3. Gostei, também, Sidney. Só fiquei pensando, me surpreendi, com a quantidade de finados ainda vivos, dentro de você. E eu? Não contei, não tenho ideia. BJ grande.

    ResponderExcluir
  4. Pois é, Roberta. E tem mais viu? rsrsrsrs Valeu!

    ResponderExcluir
  5. nossa amigo adorei muito legal valeu mesmo um CHEIRO pra tu

    ResponderExcluir
  6. Muito bacana! abraco grande

    ResponderExcluir
  7. Pensar nos que se foram é sempre uma sensação de "falta", sobretudo, "perda". Mas não perdemos, apenas deixamos de conviver fisicamente. Espiritualmente continuam conosco, como luzes acesas em nosso coração, como o vento que não vemos mas sentimos. Belo texto Sidney.

    Abraços
    Lu

    ResponderExcluir
  8. Pra mim uma das poucas coisa que faz sentido nesta loucura toda que é a vida é sermos eternos através dos que nos amam, assim me sinto imortal, tanto quanto imortalizo em mim aqueles que já se foram mas ainda estão tão perto.

    ResponderExcluir
  9. Olá, amigo Sidney!
    Sempre afinado com o que pensa e o que escreve.Parabéns, JOTAPE

    ResponderExcluir
  10. Sensível e delicado
    como uma flor presenteada
    Na despedida do corpo
    E eternização da alma

    Lindo!

    ResponderExcluir